QUEM SOMOS
A UNIÃO NACIONAL DAS IGREJAS DE DEUS (7°DIA) NO BRASIL – UNID – organizada em data de 30 de dezembro de 2005, com sede e foro na cidade de Curitiba  Paraná – adota os princípios doutrinários descritos nas Sagradas Escrituras (Bíblia) inspiradas pelo Poder de Deus Nosso Pai Celestial, no Poder outorgado ao seu filho Nosso Senhor Jesus Cristo como único mediador entre Deus e os homens, e no Poder do Espírito Santo. Somos parte do povo de Deus. E tem como finalidade a celebração do culto a Deus e a divulgação do Evangelho de Jesus Cristo, com todos os recursos ao seu alcance, conforme está expressamente estabelecida nas Sagradas Escrituras, sua única regra de fé e prática. É esta bússola que nos levará ao porto seguro. Tudo por que Deus tem somente uma verdade e é esta verdade que apregoamos e enaltecemos. Louvamos ao Nosso Deus criador dos Céus e da Terra e tudo o que nela existe. Ao comprarmos a Verdade inerente à palavra do Criador, ela arraigou-se em nosso ser, com o intuito de permanecer para a eternidade. Glórias ao Nosso Pai, pois a sua mensagem é imutável (Mal. 3 : 6). O Deus de Abraão, Isaque e Jacó é o Nosso Deus. O Deus vivo. Portanto, o concerto feito com Abraão (Gen. 17 : 7 -9) recai sobre todos os quais são descendentes do Pai da Fé. E consoante se observa em Mateus 1 : 1,17, o Nosso Senhor Jesus Cristo é Filho de Davi, Filho de Abraão.

Cristo ao interrogar os discípulos perguntando e “(...) vós quem dizeis que eu sou?” e Simão Pedro, respondendo disse: “(...) Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.” (Mat. 16 : 15,16).  E Jesus, respondendo, disse-lhe: “Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelou, mas o Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mat. 16 : 17,18). Portanto, Jesus Cristo ao dizer, sobre esta pedra, ele estava se referindo a Ele próprio, ou seja, sobre os princípios doutrinários que Ele ensinou e deixou aos seus discípulos. Ele próprio edificaria a sua Igreja, e desta maneira ele fundamentou a Igreja de Deus fundou a Igreja que leva o nome do Pai. Ensinou o evangelho do Reino o qual deve ser pregado a todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim. É esta a missão da Igreja de Deus – de todos os que integram o Corpo de Cristo que é a Igreja. Ou seja, buscar em primeiro lugar o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. (Mat. 6 : 33). E é esta mensagem que a Igreja vem divulgando o Reino de Deus que será implantado aqui na terra quando da sua volta. Buscando paralelamente cumprir com os mandamentos (João 14 : 21) numa demonstração inequívoca de amor a Deus e ao próximo. A Igreja de Deus (7°Dia) no Brasil guarda em seu bojo a linhagem doutrinária que vem desde Abraão até a consumação dos séculos.

A Igreja de Deus (7°Dia) no Brasil, chegou em nosso País em 1983.  E daquele ano a esta parte houveram  grandes desafios onde podemos perceber a coragem e a sabedoria que pairava sobre os retos e íntegros de coração. De outro lado, muitas apostasias, discórdias no campo administrativo, tendo como pano de fundo a preocupação com o poder, a arrogância, a maneira impositiva de decidir os destinos da Igreja, os maus frutos e a entrada do pecado por intermédio de alguns lideres. DEUS com o seu infinito Amor e Poder tirou os infiéis e pecadores do seio da verdadeira Igreja. Uma vez que surgiu de maneira irresponsável, o anseio de alguns em aderir a doutrina da judaização no ano de 2004. Irresponsável, pois não houve estudos diligentes que o caso exigia. Uma doutrina totalmente estranha de quando os primeiros fiéis foram batizados. Ocorreram muitas dissidências e por existir conflitos sobre a sigla “ogid” entre o grupo que saiu em 1995 com o grupo de dissidentes de 2004,  os verdadeiros adoradores de Deus, não ficaram omissos e com coragem  e detentores da mensagem que chegara ao Brasil de maneira pura e irrepreensível continuaram com a mensagem da verdade, apenas alterando o nome de “ogid” para UNID para evitar disputas em torno da nomenclatura.

Desta maneira, criou-se a UNID em 30 de dezembro de 2005, e seu Estatuto devidamente registrado conforme os preceitos da Lei Adjetiva Civil. Seguindo com fidelidade os mesmos preceitos doutrinários quando aqui chegou em 1983, a autêntica Igreja de Deus (7°Dia) no Brasil.

Com as normas estatutárias estabelecidas, nenhum membro, Oficial ou Pastor, poderá ensinar quaisquer inovações antes de passar e ter sido devidamente aprovada, pelo Concílio Geral das Igrejas de Deus (7°Dia) no Brasil.

Esta posição irreversível visa manter intacta a unidade da Igreja e evitar oscilações nas bases Fundamentais de Fé que Deus nos tem revelado. Evitando os mesmos erros cometidos no passado. Portanto mister se faz conhecer os Pontos fundamentais de Fé da Igreja de Deus, para estarmos perfeitamente habilitados para militar legitimamente (II Tim. 2:5).